Press Release

LUCRO LÍQUIDO DA SENIOR SOLUTION SALTA 43% NO 2º TRI

Resultado reflete a evolução do EBITDA já sem os gastos extraordinários da integração da attps

DESTAQUES DO 2T18:

  • Receita líquida: R$ 34,1 milhões (+3,9% vs. 2T17);
  • Receita recorrente: recorde de R$ 28,1 milhões (+15,0% vs. 2T17), 82,3% do total (+7,9 p.p. vs. 2T17);
  • EBITDA: R$ 5,0 milhões (+31,1% vs. 2T17), com margem de 14,6% (+3,0 p.p. vs. 2T17);
  • Lucro líquido:R$ 2,0 milhões (+42,9% vs. 2T17), com margem de 5,9% (+1,6 p.p. vs. 2T17);
  • Lucro caixa ajustado:R$ 4,1 milhões (-17,2% vs. 2T17), com margem de 11,9% (-3,0 p.p. vs. 2T17).

São Paulo, 8 de agosto de 2018. A Senior Solution (B3: SNSL3), líder em tecnologia para o setor financeiro no Brasil, registrou receita líquida de R$ 34,1 milhões no segundo trimestre, crescimento de 3,9% sobre o mesmo período do ano anterior, alinhado à inflação dos últimos 12 meses. Segundo Bernardo Gomes, Diretor Presidente, a Companhia interpreta esse número como favorável por conta do churn incomum nos trimestres passados, com redução em dois clientes importantes por decorrência da consolidação bancária. Destaca-se o crescimento de 14,7% na unidade de Serviços, apesar da leve redução de 1,3% na unidade de Software.

Os custos somaram R$ 21,4 milhões, redução de 2,5%, já sem os gastos extraordinários da integração da attps de R$ 1,5 milhão no mesmo período de ano anterior. Gomes lembra que a redução de custos foi observada mesmo com o incremento de R$ 0,5 milhão nos investimentos em Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação em diversas áreas - especialmente consórcios, conta corrente, gestão de recursos, e previdência - número que poderá ser ampliado.

Já as despesas gerais e administrativas somaram R$ 7,7 milhões, aumento de 9,1% sobre o mesmo período do ano anterior, decorrência da maior provisão de bônus já que Companhia segue alinhada às metas corporativas neste ano, fato que não ocorreu no 1º semestre de 2017. "Essa linha prejudica a comparabilidade, mas vale destacar que o provisionamento acelerado realizado no 2º semestre de 2017 provavelmente não será necessário em 2018, pois estamos no trilho", destaca Gomes.

Por consequência, o EBITDA atingiu R$ 5,0 milhões, crescimento de 31,1%, com margem EBITDA de 14,6%, aumento de 3,0 pontos percentuais; o lucro líquido alcançou R$ 2,0 milhões, forte crescimento de 42,9%, com margem líquida de 5,9%, aumento de 1,6 pontos percentuais; e o lucro caixa ajustado foi de R$ 4,1 milhões, redução de 17,2%, com margem de 11,9%, queda de 3,0 pontos percentuais.

Neste ano, além de buscar o crescimento inorgânico com ainda mais intensidade, abrimos um caminho promissor para acelerar o crescimento orgânico. "Para atenuar o switching cost e com isso ganhar market share, intensificamos os investimentos em PD&I e ajustamos nosso modelo comercial subsidiando parte do setup", conclui o executivo. Segundo a Companhia, ainda que isso possa pressionar temporariamente a lucratividade no curto prazo, ampliará o valor presente da venda e aperfeiçoará o perfil de recorrência.